Templates da Lua

20090207

Ogni Giorno.



Foi só de ida o meu ingresso, hoje a ti eu confesso.
Quase sempre me encontro dentro de um quadro, de Salvador Dali.
Daqui ou de qualquer outro lugar...
Abstrato!
De fato, não quero voltar.
De assalto, jogo tudo pro alto.
Transformo a realidade em um ato de insanidade.
Bondade para comigo mesmo.Ver outro tipo de beleza.
Na sutileza, das formas transformadas.
Novas impressões,em antigas expressões idealizadas.
Exoticamente dentro de mim posicionadas.
É como viver no ápice de um sonho.
Sem lógica.Nossa atitude peculiarmente histórica.
De lado a lado mulheres saem de todos os lagos.
Abrindo os seus grandes lábios,
expelindo palavras em tons de cores delicadas.
Perfeitamente delineadas.
Sem almofadas, deitar-me ei sobre mais um teto.
Até nascer continuo sendo um feto.
Com um soco eis que ainda quebro o crepúsculo do ovo;
E de novo, nasço pra este mundo;
No mundo em que eu escolher.
Se você sabe, consegue me ler.
O tempo para, pra assistir o relógio se derreter
Escorrer pelos campos laranjas
que espremem o céu e fazem o suco do tempo.
Como exemplo do absurdo que surpreende.
Faz do olho o mais suntuoso templo.
O grande masturba a dor, no calor de seu corpo.
Faz da cabeça o museu de todas suas obras.
De hora em hora até os primeiros dias da primavera.
Embora a persistência da memória, tem hora que prefiro esquecer.
A dureza de dar de cara com a mesa.
Você me solta,que ainda esta tarde
eu volto para a Natureza viva ou morta.
Me acorda e me salva,desse século vinte,
nem no Egito sobrevive mais a esfinge.
O mar vermelho é inteiro o sangue do meu joelho;
Se divide em dois para que bradando eu passe pelo lado direito do meio.
E ainda há quem diga que a arte sobreviva sem o amor.
Olhe para mim e veja como estou!
Depois de mil novecentos e oitenta e dois, sou apenas um.
Sem arte, nem deste mundo mais eu faço parte.
Me alimento em vão entre o vão que surgere a realidade.
Tão breve ateio fogo em meu quarto, no ato alimenta se a chama,
e quem o chama não é a morte.
Todavia se achegue, jogue a semente e recorte a ferida.
Se sobrevivo tamanha é a crença na vida.
Pelo auge do nascimento de todos os meus desejos líquidos
Hibrido por sete anos.Isento de todos os meus enganos,
eis que ainda andarei pelos três caminhos.
Fadado estarei a buscar abrigo,na construção mole com feijões cozidos.
Ogni Giorno di questa vita mia.
Morro de amor e provo da existência a cada década um novo sabor.
Encontro o salvador,em alguma realidade escondida;
Satisfatoriamente alternativa.
Entre os jardins das estrelas por tua beleza nobremente envaidecidas.
A nascer e morrer perante a primeira da ultima e eterna Rosa Meditativa.



Vinicius Ribeiro.