Templates da Lua

20100202

Porque não sentes minha falta?



Eu, através do inóspito silêncio desta última madrugada
Me avistei um caos completo
Na saída e na entrada
Mesmo calada, a lágrima ainda dizia
Fazia companhia ao silêncio
Do fim do mundo
Aos distantes lugares seguros

Eu, a incógnita da dúvida. A música que ecoa o silêncio
Inóspito silêncio desta ultima madrugada
Me deparo com moscas e insetos
Em todos os degraus da escada.
Criou se tudo
Dos grandes castelos
Aos banheiros imundos.

Eu, me parto ao meio. Não festejo.
Em pensamentos inacabados nesta última madrugada
E me vejo em torno de jardins e paradigmas
Palavras que não há quem nos diga
Não me siga, pois ainda continuo mudo
Dos bons e claros pensamentos
Aos mais profundos e escuros sentimentos.



Vinicius Ribeiro.