Templates da Lua

20090121

Sonânbulo no Tempo.


As paredes ruíam e contavam sobre os mitos, de alegrias e lamentos, felicidades e tormentos. Eram mortes, sortes, casamentos, alguns graves ferimentos. E cada rachadura me olhava nos olhos, mandava eu calar a boca,encostar na parede e sentir como ela era oca.Pensei comigo,ela está louca se imagina que deixarei os insetos entrarem pelos meus ouvidos,saírem da parede direto para o meu umbigo.
Hoje acordei em plena manhã, só pra trancar a porta com mais uma chave. Não posso deixar que eles me ataquem. Se caísse pela janela, certamente esmagaria todos sem deixar seqüela. Eles que batem em minha porta, gritam o dia todo, me pegam e não me soltam. Eles voltam toda noite pra me perturbar.
Se deteriorizar faz parte da vida, ouvir vozes entre os corredores escondidas, todos os dias imaginar novas realidades em antigas fantasias. Mas ainda assim, são só histórias,que elas querem que eu aprenda e que as façam virar lenda,de alegrias e fingimentos,felicidades e esquecimentos,memórias que não são minhas,elas insistem mas não me contagiam.Eu apenas olho e já me esqueço, acordo ainda sonâmbulo,levanto e só me obedeço.Com um copo de café,se Deus quiser,essas paredes pra sempre estarão em pé.
Com o tempo tudo se desgasta, se arrasta pelos dias,apenas sobram as idéias,fragmentos de matéria,lembranças reais e inventadas,realmente transformadas.Mas vocês sabem o que eu quero dizer.Sempre tranquem a porta e conheçam muito bem a escada, antes de descer.



Vinicius Ribeiro.