Templates da Lua

20090420

Lembranças do Circo.



Luzes, Fogo, leões, cores e tintas.
O espetáculo começa ainda por de trás da imensa cortina
E quando soam os tambores
Vemos Flores em todos os refletores

Logo descobrirá que agora são os quadros que escolhem os seus pintores.



Mas qual o segredo por de trás dessas cortinas? O que acontece quando vai embora toda a luz do nosso dia?



Antes de nascer ensaiamos a vida, nas ultimas madrugadas preparamos um novo dia e a tarde ansiamos por uma noite nostálgica, a grande noite de todo nosso espetáculo. Mas não sabia ainda escolher as cores que pintavam o novo dia. Então eu ria dos palhaços, e eles riam da tristeza que nos traziam aos baldes, transbordantes de lagrimas das nuvens que os tolos insistiam em as chamarem de chuva.
De gota em gota pingou toda a água do mundo, de boca em boca conhecemos todos os segredos mais obscuros, porque pintava a vida com cores que só ele conhecia e porque as via com o cérebro ao invés dos olhos, um mistério que construímos com cada um desses tijolos. E quando criança chorava porque sempre havia uma tristeza no meio da alegria assim como pintava de preto todas as cores que ele via.
Ele que nasceu em meio aos animais, como quem trás a vida no primeiro grito, pedindo pra voltar pra dentro da barriga e de lá não sair nunca mais. Porque a vida não era aqui fora, mesmo que fosse talvez ele não estivesse preparado àquela hora, pois parece que já nascemos morrendo e morremos pra quem sabe nascer de novo, cada criatura que sai de dentro do seu ovo e morre sozinho esquecido no meio do povo.
Trancado dentro do quarto era que mergulhava dentro daqueles antigos quadros, e as quatro era que adentrava dentro das pinturas dos rios e dos lagos. Com leões e elefantes, neste instante deixava a tristeza e o medo irem embora com as águas, porque o verde das arvores era pintado com a vontade de engrandecer a arte, agradecer a sorte por achar o pote no fim do arco Iris, ao descobrir que tinha em suas mãos todos os sonhos possíveis, e todos os sonhos de paz, que acabaram ficando para trás, acabaram sofrendo demais ao se verem anoitecer em meio ao vendaval, buscando refugio em algum outro mundo porque de nada mais adiantaria ele tentar ser igual.
Era só uma criança, mas diziam que sangrava como adulto, que sonhava como um difundo á imaginar onde se encontrara perdidas todas as outras vidas, o lado do mar onde apenas habitassem as águas mais tranqüilas. Em sigilo ensaiou seu espetáculo, desarrumou todo o antigo cenário e fez das palavras sua amiga e aliada.
Foi quando se lembrou que havia lido no jornal que Jesus Cristo ressuscitara ainda ontem, se levantou e foi pro céu em frente a todos os grandes montes. Por isso respirei e me senti melhor, abri uma garrafa de água, brindei com alguns ratos e com todos dividi o meu jantar. Não adiantava simplesmente estar lá sem fazer ninguém rir ou chorar, se emocionar. Dar o suor e o sangue, realizar suas fantasias com um toque de magia e de ilusionismo. As arvores cresciam até alcançarem o céu, e escorregarem sorrindo pelo arco Iris, de lá ouviam as vozes que anunciavam o maior espetáculo da terra, palhaços, malabarismos, acrobacias, vinham transformar a mágica da vida, o lado sorridente da inocência desconhecida, encontraram se todos nessa viagem que todos os dias acontecia. O olho fez o sol brilhar até a meia noite, porque de dia amolavam as facas para acertarem direto no alvo, estarem a salvo e receberem os nossos aplausos.
Do alto, o medo é o que nos mantinha de pé, voando baixo e sonhando mais alto, entre as cores e plumas, ressuscitando até os mortos das covas mais profundas. Não me lembro ao certo se havia mais lagrimas ou risos, mais abraços que avisos,de improviso ele começou a pensar em ser feliz, ,juntou se a platéia e sorria pois pensara no amor e decidiu ir procura lo seja onde for.
No ápice do show só via as cores, as luzes, os novos quadros e suas tintas, nas pinturas que criavam belos movimentos e se moviam. Tudo aquilo era a vida, era a magia de deixar de engatinhar e ir conquistar o seu lugar no mundo.
Fatalmente uma hora a lona desse circo se incendiará e o fogo se transformará em pó, nascerá em ti a fênix,e voarás em brasa cada vez mais alto, espalharás tuas chamas pelo céu e ainda antes das cortinas se fecharem,certamente receberás o teu troféu.



Vinicius Ribeiro.